Serra e o manual do jornalista

 

Por Paulo Henrique Amorim, no blog Conversa Afiada:
 
Nesta terça-feira, na rádio que troca a notícia, o Padim Pade Cerra desqualificou de forma violentaa pergunta de um dos jornalistas mais respeitados em São Paulo, Kennedy Alencar.Tratou o jornalista como um meliante, um desqualificado.

Kennedy queria saber como ele analisava o kit gay que lançou como governador de São Paulo e a incongruência de sua campanha, que estigmatiza o kit gay do Ministro da Educação, Fernando Haddad.

(Clique aqui para descobrir com o Vladimir Safatle quem é o responsável por transformar homossexuais em reféns de campanhas eleitorais.)

É a mesma história do aborto: em 2010, ele criminalizava a Dilma por causa do aborto, e a mulher dele admitia que tinha feito aborto no Chile.

Diante da violência de hoje, editores do Conversa Afiada se lembraram deste texto que o ansioso blogueiro escreveu durante a campanha de 2010.

Logo depois de Cerra ter um ataque de fúria diante da pergunta de uma jovem repórter da RBS (em sua “zona de conforto”), em Porto Alegre.

O texto permanece irretocável:

*****

Publicado em 21/05/2010

MANUAL DO JORNALISTA QUE VAI ENTREVISTAR O SERRA

Este modesto blogueiro foi um dos primeiros a denunciar que o Serra liga para os patrões e pede a cabeça de repórter que faz pergunta de que ele não gosta.

Este modesto blogueiro contou que, por duas vezes, ele ligou para o Presidente da Record e pediu a cabeça deste modesto blogueiro.

Serra é o nosso Putin.

Ele gostava do tempo em que bastava dar três telefonemas para controlar o PiG: para o Dr Roberto (ou o Jorge Serpa, a quem ele também recorria com frequência); o “Seu” Frias, a quem dedicou uma ponte em São Paulo; e ao Ruy Mesquita (o Robert(o) Civita vinha no vácuo).

Foi assim que ele construiu uma reputação que não resistiu a uma campanha que o PiG não consegue controlar mais, sozinho.

O Conversa Afiada defende a tese de que, sem o PiG, esses tucanos de São Paulo não passavam de Resende.

E Serra é o neo-Silvio Santos: um candidato a Presidente que só tem mídia.

Agora, como se sabe, o Serra deu para atacar jornalistas.

Clique aqui para ler “Jornalistas, cuidado, o Serra morde”.

Em nome da liberdade de expressão, o Conversa Afiada tenta prestar um modesto serviço.

Um manual para jornalistas que vão entrevistar o Serra.

(Especialmente dedicado a mulheres repórteres, a quem ele dedica fúria especial. Ele parece preferir as que calam.)

Sugestão # 1: Não se atemorize.

# 2: Tenha certeza de que há outros jornalistas em volta dele, munidos de câmera, máquina fotográfica, gravador ou celular – você vai precisar de testemunhas.

# 3: Não faça pergunta numa situação em que você esteja sozinho com ele.

# 4: Faça uma pergunta curta, direto ao ponto: “o senhor vai vender a Petrobrás ?”, por exemplo.

# 5: Não responda à pergunta que ele fizer. Esse é um dos truques dele. Ele tenta desqualificar a sua pergunta com outra pergunta: é isso o que o seu patrão quer saber ?; quem te disse isso ?; você realmente acredita nisso ?; quem te mandou fazer essa pergunta ?

Jamais responda ao Serra. Você não é candidato a nada. O candidato é ele; ele é quem tem que dar satisfações à sociedade.

# 6: Insista com a sua pergunta. Além de tentar desqualificar a sua pergunta, ele vai tentar não responder à sua pergunta.

# 7: Faça a sua pergunta até que ele responda.

# 8: Não se deixe encurralar pelos outros repórteres do PiG.

O Serra vai tentar desviar a entrevista para os repórteres que ele conhece e sabe que são do PiG. É o pessoal que faz as perguntas do tipo “púlpito”.

# 9: Tenha uma segunda reposta na agulha: “o senhor vai esconder o Fernando Henrique da sua campanha, como fez o Alckmin em 2006?”

Se ele der uma resposta que não quer dizer nada sobre a Petrobrás, você terá essa do FHC na ponta da língua. Mas, insisto: faça a pergunta direto, curta e tão alto que os outros repórteres ouçam (e possam gravar, fotografar, filmar etc). Um exemplo: quando o delegado Bruno se deixou “surpreender” pelos repórteres do PiG e divulgou as notas dos aloprados, um deles gravou a conversa do delegado com os repórteres e vazou para o Conversa Afiada. Quando você (e o Serra) menos espera, tem um aliado, ao lado.

# 10: Não se esqueça: ele foge. Um dos traços da personalidade do Serra é que ele é feroz quando percebe que o interlocutor está com medo. E, sobretudo, ele é valente pelas costas. Se você o enfrentar – ou seja, se não renunciar à função de repórter e insistir na pergunta – se você o enfrentar, ele foge. Não tenha medo dele.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: