Merval e seu caráter

Blog Tijolaço por Brizola Neto

O senhor Merval Pereira volta hoje à carga. Diz que eu “recuei”, “abdiquei”, “voltei atrás” de minhas posições e “aderi” à defesa do Rio de Janeiro.

O senhor Merval Pereira é um primor de caráter.

Ele tem sempre uma boa explicação: não foi ele quem errou, os fatos é que erraram.

Foi assim quando, em 1989, em plena campanha presidencial, publicou uma foto de um homem com uma foto de Leonel Brizola e disse que era o traficante “Eureka”.

Como o homem não era traficante, mas um líder da comunidade, José Roque Ferreira, Merval preferiu não pedir desculpas e alegar que um policial informou que era um traficante, como alegou à época ao ombudsmanda Folha, Caio Túlio Costa.

Em lugar de  esclarecer, segundo a Folha, o Globo passou a investigar Ferreira, para arranjar algo que o envolvesse como o tráfico.

Esta história ainda será contada com mais detalhes.

Qualquer leitor do blog, inclusive os muitos que manifestam uma posição contrária a qualquer ressarcimento especial ao Rio de Janeiro e que “me batem”  a valer por isso, sabe que só tive uma posição, sempre.

Bastaria consultar a pesquisa do blog e ver. Está público, registrado e datado.

Mas a postura de Merval é aquela que Tulio Costa descreveu sobre o que fez O Globo naquele episódio:

“Sem reconhecer objetivamente que errou – na esperança de que ao guardar a decisão da Justiça o tempo passe e o assunto morra. “O Globo” perde ainda mais pontos. Não há demérito em recolher erros. Está certo, o jornal deu espaço ontem tanto para Brizola quanto para o rapaz ofendido, mostrou em título e chamada de capa que o secretário de Polícia Civil do Rio diz que não há informações sobre seu envolvimento com tráfico. No entanto, não reconheceu o erro porque ainda não se acha de todo errado apesar das evidências em contrário”.

Não vou ficar aqui tecendo comentários sobre a postura de Merval. Limito-me a transcrever o que diz dela um seu ex-colega, Paulo Nogueira, ex-diretor editorial da Editora Globo:

“Merval é, basicamente, contra tudo que Lula fez, do Bolsa Família às cotas universitárias. Se Lula inventar a cura do câncer, Merval vai atacar. Seu poder de persuasão pode ser facilmente medido nas urnas. Se eu fosse candidato, torceria para que Merval fosse contra mim.

Ao lado de Ali Kamel, ele é um dos mais fiéis reprodutores do ideário da família Marinho. (Esperemos para ver se Kamel não vira futuramente um imortal.)

Numa carta célebre a um editor, o barão da imprensa Joseph Pulitzer disse o seguinte:  “Espero que você pense, pense, pense!!! (…)  Que compreenda que todo editor depende do proprietário, é controlado pelo proprietário, deve veicular os desejos e as idéias do proprietário. (…) Sua função é pensar, o mais próximo possível, no que você pensa que eu penso.”

Merval – e nem Kamel – teriam que ouvir isso. Lembro que, nas reuniões do Conselho Editorial da Globo das quais participei entre 2006 e 2008, os dois pareciam disputar entre si quem era campeão em pensar como a família Marinho pensa.

Então, ficamos assim: eu com uma cadeira de deputado “por deferência”, como ele diz, do governador Sérgio Cabral e da Presidenta Dilma e de 55 mil votos, ele fica com a cadeira na ABL por sua vasta e reconhecida obra literária  e por seus poderes telepáticos e depois  mediúnicos, que mostram que as grandes devoções sobrevivem à morte dos idolos.

2 Responses to Merval e seu caráter

  1. Octaviano Galvão Neto disse:

    A língua poruguesa tem uma expressão que, a meu ver, é perfeita para situções / cidadãos comos esses: CANALHAS !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: