Rafinha Bastos pode dançar na Band

Do sítio Brasil 247:

publicado no Blog do Miro de Altamiro Borges 

Do sítio Brasil 247:

Dias atrás, o programa CQC, da Bandeirantes, exibiu uma das piadas mais infames já vistas na televisão brasileira. “Eu comeria ela e o bebê”, foi o que disse o apresentador Rafinha Bastos sobre a gravidez da cantora Wanessa Camargo. Neste domingo, a direção da Band avalia se repreende ou se afasta em definitivo o apresentador do programa comandado por Marcelo Tas.


Aparentemente, a decisão já está tomada – e tudo indica que Rafinha, que queria comer, será comido. Não fosse assim, dificilmente o apresentador Marco Luque, que faz parte da bancada do CQC, teria tido a liberdade para divulgar a nota que soltou nesta semana. “Sobre a piada feita pelo Rafinha Bastos, no Programa CQC que foi ao ar no dia 19 de setembro, eu, como pai, entendo e apoio a revolta e a indignação do Marcus Buaiz, um homem que conheço e respeito. Se fizessem uma piada com este contexto sobre a minha família, certamente ficaria ofendido. Com certeza uma piada idiota e de muito mau gosto”, registou o comunicado.

Portanto, o clima esquentou de vez no CQC e o eventual afastamento de Rafinha Bastos levantará discussões candentes no Brasil. Afinal, o humor deve ou não ser totalmente livre? Recentemente, Rafinha esteve envolvido em outra polêmica quando disse que uma mulher deveria agradecer ao estuprador pelo favor prestado. Isso tem graça? Deve ter lugar na televisão brasileira? Incita a violência?

De acordo com a delegada Rosmary Corrêa, presidente do Conselho Estadual da Condição Feminina, sim. Ela o convidou a visitar o conselho para conhecer, de perto, as consequências que um estupro produz numa mulher. Rafinha refugou. Ele apenas enviou um comentário, por sua assessoria de imprensa: “Se os comediantes tiverem que responder por toda piada que fazem, não vão ter tempo pra mais nada na vida. Nem pra fazer comédia”.

Degradação do humor

O fato é que Rafinha, protagonista do que se convencionou chamar de stand-up comedy, representa a decadência do humor no Brasil. Desde o ocaso de Chico Anysio na Globo, este sim um dos maiores gênios do humor de todos os tempos no mundo, os programas passaram a apostar na agressão gratuita ao outro – gente comum ou celebridades. Uma espécie de bullying televisivo. E o que começou com o Casseta & Planeta espalhou-se por todos os canais.

Perder o espaço na Band pode ser muito ruim para Rafinha Bastos. Graças à exposição no CQC ele foi apontado como a pessoa mais influente do mundo no Twitter e, com isso, conquistou gordos contratos publicitários, com empresas como Nokia e Pepsi. Fora do CQC, e simbolizando um humor sem graça e que provoca mais indignação do que risos, ele perderá também a atratividade comercial.

É, Rafinha.

Querias comer, mas foi comido.

One Response to Rafinha Bastos pode dançar na Band

  1. nelsonpec disse:

    Muito infeliz a ‘piada’ do Rafinha Bastos. Aliás, como noticiado não foi a primeira. Há pessoas boas e novas, tentando levantar a bandeira do ‘humor’, após a aposentadoria do velho e bom Chico Anísio. Tirar ‘sarro’ com políticos, famosos e outros, principalmente os de aparição de 15 minutos, sempre foi uma tônica ‘gelada’ do humor. O canal Viva, tão bem bolado pela Globo, nos mostra que esse tipo de humor sempre foi presente e nos mostra também o que era fazer um humor em televisão, com graça, ousadia e respeito. Hoje as pessoas, com esses novos humoristas, não a maioria, passam da conta na hora de fazer humor, chegando às raias do absurdo como Rafinha Bastos, num humor negro e idiota!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: