Obama, ou como não ser um líder

Do Blog Tijolaço, de Brizola Neto 

Da BBC,ontem à noite:

“Depois de uma semana inteira de negociações diárias sem resultados concretos, o presidente americano, Barack Obama, disse nesta sexta-feira que os congressistas precisam apresentar uma proposta sobre a dívida do país nas próximas “24 horas”.”Obviamente, nosso prazo está se esgotando”, afirmou Obama, em entrevista coletiva na Casa Branca. “Então, o que eu disse aos membros do Congresso foi: ‘Vocês precisam, nas próximas 24 ou 36 horas, me dar alguma ideia de qual é o seu plano para elevar o teto da dívida’”, disse o presidente.”

E na Reuters:

“Mostre-me um plano sobre o que está sendo feito em termos de redução de dívida e déficit. Se eles me mostrarem um plano sério, estou pronto para me mover, mesmo se isso for requerer decisões difíceis”, disse Obama.”

Francamente, chega a ser ridículo.

Como assim “me dêem alguma ideia”, “mostrem-me um plano” ?

O regime americano é presidencialista, como o nosso. Alguém imagina o Lula ou a Dilma pedindo ao PSDB “um plano” para evitar a moratória do Tesouro brasileiro?

A discussão sobre se o equilíbrio fiscal – ou menos desequilíbrio, que é o possível –   vai se fazer com corte de despesas sociais ou aumento de impostos é emergencial, não de médio e longo prazo.

Essa pertence às eleições.

E são elas que estão sendo jogadas nesta “queda de braço” entre Obama e os republicanos.

Dois terços dos americanos concordam em aumentar os impostos dos mais ricos (com renda superior a US$ 250 mil, ou R$ 400 mil anuais) e quase a mesma fração  acha que as grandes corporações devem ter limitadas suas deduções fiscais.

Ao mesmo tempo, isso esbarra na solidez da ideia americana de que governar é reduzir impostos. E há uma maioria que entende que o essencial é cortar os gastos governamentais, embora isso vá ser um desastre para a precária situação da  economia americana, prasticamente estagnada e com alta taxa de desemprego.

É de olho nela que Obama pede “um plano”.

Quer que os republicanos digam de onde tirar o dinheiro, sem aumento de impostos. Quer que pronunciem, com todas as letras, que defendem cortes na saúde e na seguridade social e os apontem.

Obama pode estar levando os republicanos ao desgaste. Mas, ao mesmo tempo, consolida a visão de que é um governante  fraco, que não constrói caminhos, não é referência e, portanto, revela-se incapaz de ser um líder.

Ele pode ser um político hábil e certamente o é, por ter chegado onde chegou.

Mas está a anos-luz de ser um Franklin Roosevelt – como cansou de pretender se mostrar – e conduzir os EUA ao um novo caminho e um novo papel no mundo e, com isso, o mundo a uma nova situação.

Não é capaz de  se dirigir ao povo americano com as palavras com que aquele homem usou, em seu primeiro discurso a um país arrasado pela recessão, em 1933:

“Este é  o momento de falar a verdade, toda a verdade, franca e corajosamente. Nem precisamos recuar diante enfrentandochonestamente  as condições em nosso país hoje. Esta grande nação resistirá, pois tem sofrido, irá reviver e irá prosperar. (…)Nossa tarefa principal é dar trabalho às pessoas . Este não é um problema insolúvel, se o enfrentarmos com sabedoria e coragem. Pode ser realizado em parte através do recrutamento direto pelo próprio governo, tratando a tarefa como se trataria a emergência de uma guerra, mas ao mesmo tempo, através deste trabalho, realizando grandes  – e muito necessários –  projetos para estimular e reorganizar o uso dos nossos grandes recursos naturais”.

Lá, como aqui, valem o ensinamento dos versos de Camões:

(…)o Reino, de altivo e costumado

A senhores em tudo soberanos,

A rei não obedece, nem consente,

Que não for mais que todos excelente (…)

As terras sem defesa, esteve perto

De destruir-se o Reino totalmente,

Que um fraco rei faz fraca a forte gente”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: